Vergonha presidencial

Bolsonaro desmoraliza o cargo ao ridicularizar a economia

Senador Paulo Rocha critica deboches de Bolsonaro ao resultado pífio do PIB e cobra dos parlamentares defesa das instituições nacionais
Foto: Alessandro Dantas

A cena de um comediante substituindo o presidente da República para explicar o resultado pífio do PIB é um ataque à democracia e às instituições. É o que acredita o senador Paulo Rocha (PT-PA), que cobrou nesta quinta-feira (5) uma resposta do Congresso à total falta de responsabilidade de Jair Bolsonaro.

“Fazer o que ele fez com aquele comediante indo representar o presidente da República para explicar à imprensa o Produto Interno Bruto de 2019? A imprensa só está cumprindo o papel dela. Fazer o que ele fez ontem desmoraliza o próprio cargo”, disse o senador petista.

Segundo ele, a falta de responsabilidade do presidente impõe riscos inclusive ao Congresso Nacional e às demais instituições da República.

“A forma como Bolsonaro impõe o seu projeto é exatamente o método da provocação da desmoralização, inclusive, das instituições. Isso é grave! Daqui a pouco, o povo estará invadindo o Congresso”, afirmou.

“Os nossos partidos, independente da posição política, têm de ser responsáveis por fazer com que as nossas instituições continuem fortes.

Nosso país enfrenta sérios problemas econômicos e sociais e só há uma saída: o fortalecimento da democracia, o que só se faz quando se tem aqui representantes fortes e que têm legitimidade”, acrescentou, criticando os que defendem o fechamento do Congresso.

O PIB brasileiro cresceu 1,1% em 2019, segundo divulgou na quarta-feira (4) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Foi o desempenho mais fraco em 3 anos. Para explicar o resultado, Bolsonaro enviou para comentar o tema o comediante Márvio Lúcio, o Carioca, que chegou ao Palácio da Alvorada vestido de presidente em um carro oficial, junto com o secretário de Comunicação da Presidência, Fábio Wajngarten.